Superlotação do mercado de trabalho


Diploma do ensino médio na mão, hora de escolher o seu curso superior. Mas como escolher? Ai está o problema, há milhares de opções para todos os cursos. O primeiro pensamento que vem a tona é de escolher aquele que voce se identifica e que abriga as matérias de seu interesse e que lhe agrade. Bom até ai tudo bem, pois como citado são muitas e muitas opções, logo alguma delas irá agradá-lo.




Entretanto, é muito comum que pessoas escolham determinados cursos que gostem e sejam reprimidos por pessoas próximas com frases do tipo: “Isto não dá dinheiro” ou “Isto não tem futuro, faça determinado curso que você se da bem melhor”. E é o seu futuro, e você espera que ele seja bom e tranqüilo, certo? Então você pensa naqueles cursos que dão uma boa renda, como administração ou engenharia. Mas então te dizem que ambos tem o mercado de trabalho extremamente concorridos! Então o que fazer?




Essa é a realidade de muitas pessoas que pensam se vão mesmo cursar esses cursos, tendo em mente que elas podem não conseguir o tão sonhado emprego no futuro. Essa “superlotação” do mercado de trabalho, causado pelo grande interesse profissional nessa área de atuação, é justamente por que quase todo mundo quer ter esse futuro tranqüilo, sem ter problemas financeiros.




Mas não precisa se desesperar, você pode fazer o curso que quiser, seja ele um curso com muitos profissionais ou não. Mas é claro que você não vai querer ficar desempregado. Nossa dica é: viva em constante mudança, se capacitando cada vez mais e acima de tudo não tenha medo de mudar...




Profissionais com mercado saturado?




Administração, direito, psicologia, odontologia, fisioterapia são exemplos áreas profissionais que já estão a muitos anos com seu mercado saturado. Mas isso significa desemprego? É ocasionado pelos baixos salários? Ou pela falta de profissionais capacitados?


Apesar de dizer que há uma superlotação em certas áreas de atuação profissional, há sempre vagas abertas para todos os profissionais. Mas hoje em dia o mercado de trabalho exige maior capacitação dos profissionais, por isso certas áreas há desemprego ocasionado pela falta de capacitação desse profissional desempregado, e também há vagas em empregos de certas empresas, que exigem um profissional com certas qualidades e não encontram em um profissional todas as qualidades que desejam.


Por algumas áreas estarem saturadas ou mesmo por falta de capacitação dos profissionais, eles acabam trabalhando em setores diferentes do esperado, por ter competências naquela área, apesar de não ser formado na mesma. Como por exemplo um engenheiro trabalhando como administrador ou analistas. Bacharéis em física que atuam como programadores.


A tabela ao lado, tirada daqui, mostra empregos na área de administração aqui em Florianópolis, que demontra que mesmo com muitos profissionais formados ainda há carência no mercado de trabalho. E a tabela abaixo mostra a quantidade de profissionais que trabalham na área que se formam.





Dicas para esses profissionais



Psicologia

No Brasil, há mais de 150 mil psicólogos e a maioria trabalha como autônomo. Contudo, a psicologia tem um leque de ofertas para a sociedade, nas áreas educacional, hospitalar, do esporte, publicitária, de desenvolvimento e gerenciamento de relações humanas nos ambientes de trabalho, social e comunitária.


Odontologia

O profissional de odontologia está com o mercado de trabalho saturado, principalmente na região do Sudeste, chegando a ter 62% dos dentistas de todo o Brasil. Ailton Rodrigues, vice presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO), nessa notícia afirma que a maioria dos hospitais públicos e particulares não tem dentistas em seus quadros funcionais. Também fala que não se tem campanhas publicas para prevenção de problemas bucais, ocasionando que 40 milhões de brasileiros nunca foram ao dentista, segundo pesquisa. A coordenadora do curso da Universidade Federal do Ceará (UFC), Mônica Sampaio do Vale, aposta em cidades do interior e em empregos no setor público para os novos dentistas.


Jornalismo

O mercado de trabalho para Jornalistas está em baixa, está saturado. As universidades vêm formando mais profissionais do que o mercado tem capacidade de absorver. Por isso recomendam ao estudante dessa áreas procurar um estágio, podendo ajudá-lo a entrar mais facilmente no mercado de trabalho.



Fisioterapia

Da área da saúde, o curso de fisioterapia é o que se forma mais gente, isso pode ter saturado e deixou o mercado mais competitivo. É importante o profissional deixar os grandes centros e procurar empregos no interior e também se qualificar, fazer pós graduação, saber uma língua estrangeira.



O que o mercado de trabalho exige?




Hoje em dia, para se destacar no mercado de trabalho é importante, não só seu conhecimento técnico e específico para desempenhar a sua função mas são as suas competências adicionais e habilidades que contam pontos para conseguir um emprego. Para ganhar destaque é importante exercitar suas habilidades de trabalhar em equipe, de liderar, de lidar com dificuldades, com diferentes perfis de profissionais e de empresas e seus valores pessoais. É importante também fazer aquele famoso networking, que podemos resumir como ter uma boa rede social, mas o vídeo abaixo explica melhor e dá algumas dicas.






Por isso hoje em dia, investir na carreira é mais do que adquirir conhecimento na sua área, mas melhorar como pessoa, pois o relacionamento com o próximo está sendo cada vez mais valorizado. Faça isso e seja um profissional empregável, mantenha-se sempre compatível com o que o mercado deseja e mantenha acesa a chance de conseguir uma recolocação profissional.




Lembre-se sempre de que há uma multidão buscando por empregos, mas o mercado está em busca de profissionais de primeira linha, que façam a diferença!








Indústria: Há vagas?

Definição de Indústria

Primeiramente vamos definir indústria, segundo o dicionário online Michaelis, definimos a indústria como:

“1. Conjunto de artes de produção, em oposição à agricultura e ao comércio. 2. Arte, ofício, profissão mecânica ou mercantil. 3. Aptidão ou destreza com que se executa um trabalho manual, habilidade para fazer alguma coisa.”

Com isso podemos dizer que indústria é uma instituição que transforma a matéria prima em produtos para uso pessoal.



Principais tipos de indústrias


As indústrias podem ser divididas em 2 grupos:
Indústrias Extrativas, cuja função seria a extração de matérias primas da natureza, como por exemplo a extração de metais, madeira, petróleo.

Indústrias de transformação, que são as indústrias responsáveis por transformar a matéria prima em utensílios para o ser humano. As indústrias de transformação podem ser divididas em 2 novos grupos:


-Indústrias de bens de consumo: São indústrias cuja produção está voltada diretamente ao mercado consumidor, para o consumo da população.

-Indústrias de bens de produção: São indústrias responsáveis pela transformação da matéria prima bruta para que esta seja útil em outras indústrias. Algums exemplos são as indústrias siderúrgicas e metalúrgicas.


Como exemplos de indústrias temos:


Indústria aeronáutica, Indústria agroquímica, indústria de alimentos, Indústria de bebidas, Indústria bélica, Indústria da construção civil, indústria cafeeira, Indústria farmacêutica, Indústria gráfica, Indústria hoteleira, Indústria de iluminação, Indústria de laticínios, Indústria madeireira, Indústria de mineração, indústria de móveis, Indústria naval, Indústria petroquímica, Indústria têxtil, Indústria vidreira.


Abaixo segue uma tabela com os principais estados brasileiros, suas indústrias e a localizacão destas:



(Clique na imagem para ampliar)


Industrialização no Brasil



A industrialização no teve o seu início a partir de 1930. Isto se deve à crise de 1929 que foi responsável pela decadência da cafeicultura e que possibilitou o investimento nas indústrias. Devido à alta disponibilidade de mão de obra e de um amplo mercado consumidor, a industrialização se concentrou principalmente na região sudeste, mais precisamente em São Paulo. Mas o ápice da indústrialização foi só ocorrer anos mais tardes, durante o governo de Jucelino Kubitschek, que foi responsável pelos chamados “50 anos em 5”.
Nesse período, o Sudeste ganhou destaque pois apresentava os principais fatores para a localização industrial, que eram o capital, o mercado consumidor, a mão-de-obra e os meios de transporte Atualmente o Brasil está sofrendo uma “descentralização industrial”, tirando o foco do sudeste. Isso por que as indústrias estão procurando lugares onde principalmente há mão-de-obra barata e também onde não há tanto congestionamento no transporte e onde há uma melhor qualidade de vida do que nas cidades. A saber, as indústrias de calçados e vestuários por exemplo, se instalam mais no nordeste, por que a mão de obra é bem mais barata.
Para encontrar indústrias Brasileiras visite o site Guia da Indústria Brasileira.


Esse filme demonstra a chegada das indústrias, e Charles Chaplin demonstrou

como que era uma indústria de série e o quanto que era desgastante.




Indústrias em Santa Catarina



A economia de Santa Catarina se baseiano extrativismo, na pecuária e também na indústria, tendo como foco as indústrias têxtil, agroindústria, cerâmica e metal-mecânica. Temos aqui um dos maiores fabricantes de motores elétricos do mundo, a Weg, fábrica de Jaraguá do Sul, também temos um dos maiores fabricantes de compressores para refrigeradores, a Embraco, em Joinville, e também a maior fundição da América Latina, a Tupy, também em Joinville. Temos também grandes indústrias de eletrodomésticos e metalmecânica em geral, no norte do estado, com marcas de projeção nacional como Consul e Brastemp, ambas de Joinville.
Nossos principais centros industrias estão em Joinville e Blumenau. Em Joinville temos fábricas de tecidos, de produtos alimentícios, fundições e indústria mecânica. E em Blumenau encontramos sua atividade na indústria têxtil, assim como Gaspar e Brusque. E recentemente também à indústria de softwares. Temos no interior do estado fábricas de pequeno porte, ligados tanto à industrialização de madeira quanto ao beneficiamento de produtos agrícolas e pastoris.
O nordeste do estado se destaca na produção de motocompressores, autopeças, refrigeradores, motores e componentes elétricos, máquinas industriais, tubos e conexões. No sul do estado, e nas cidades de Imbituba, Tubarão, Criciúma, Cocal do Sul, Içara e Urussanga, encontram-se as principais fábricas de cerâmica de revestimento do Brasil. O estado de Santa Catarina também lidera, no país, a produção de louças e cristais.
Na Região da Serra Catarinense, destacam-se a indústria madeireira e papeleira, devido à grande existencia de matéria prima no local. Nas indústrias da Serra são feitos os trabalhos de beneficiamento da madeira, até o beneficiamento do papel, criando diversos derivados e o produto final.
Santa Catarina é o sétimo estado mais rico do Brasil, controla 4% do PIB nacional. Podemos encontrar maiores informações sobre indústrias em Santa Catarina no site da FIESC.




Cursos que formam profissionais para a indústria


Aqui na Grande Florianópolis temos duas grandes instituições públicas federais, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Federal Santa Catarina (IFSC), que são muito procuradas principalmente por serem públicas e terem um ensino de qualidade. Abaixo listamos os cursos disponíveis das duas instituições, que visam o profissional da indústria.

Cursos Técnicos IFSC
CURSO TÉCNICO PÓS-ENSINO MÉDIO DE AUTOMOBILÍSTICA


Que atividades desempenha:
- Manutenção Auto-Veicular;
- Ergonomia e Segurança Veicular;
- Inspeção Veicular;
- Combustíveis e Lubrificantes;
- Motores TÉrmicos;
- Sistemas Automotivos;
- Eletricidade e Eletrônica Embarcada;
- Estrutura e Montagem Veicular;
- Gestão da Qualidade e Meio Ambiente.


CURSO TÉCNICO PÓS-ENSINO MÉDIO DE ELETROELETRONICA
Capacitação


O Técnico deverá apresentar, após conclusão da seqüência curricular, as competências profissionais gerais da área, das quais destacamos:

- Coordenar equipes do trabalho, que atuam na instalação, montagem e manutenção de sistemas elétricos e eletrônicos;

- Observar as normas técnicas de qualidade, saúde e segurança no desempenho de suas funções;

- Utilizar catálogos, manuais e tabelas em processos de instalação, manutenção e montagem de equipamentos elétricos e eletrônicos, observando as normas técnicas;

- Propor melhorias e a incorporação de novas tecnologias no sistema de produção;

- Avaliar e solucionar problemas em circuítos elétricos e eletrônicos.



CURSO TÉCNICO PÓS-ENSINO MÉDIO DE ELETROMECÂNICA
Capacitação


O Técnico Eletromecânico deverá apresentar, após conclusão da seqü ência curricular mínima e do estágio aprovado, as competências profissionais gerais da área profissional da Indústria, prevista na Resolução CNE/CEB n°. 04/99, de 05 de maio de 1999:
- Coordenar e desenvolver equipes de trabalho que atuam na instalação, na produção e na manutenção, aplicando mÉtodos e técnicas de gestão administrativa e de pessoas;

- Aplicar normas técnicas e especificações de catálogos, manuais e tabelas em projeto, em processo de fabricação, na instalação de máquinas e de equipamentos e na manutenção industrial;

- Elaborar planilhas de fabricação e de manutenção de máquinas e equipamentos;

- Elaborar projetos, cálculos, dimensionamento, lay-out, correlacionando-os com as normas técnicas e com os princípios científicos e tecnológicos;

- Desenvolver projetos de manutenção, de instalações e de sistemas industriais, caracterizando e determinando aplicações de materiais, acessórios, dispositivos, instrumentos, equipamentos e máquinas;

- Projetar melhorias nos sistemas convencionais de produção, instalação e manutenção, propondo incorporação de novas tecnologias;

- Administrar, planejar e controlar processo, máquinas e pessoal;

- Conhecer os sistemas de organizações industriais, seu ambiente externo e interno.



CURSO TÉCNICO PÓS-ENSINO MÉDIO DE ELETROTÉCNICA
Capacitação


É o profissional com formação na área da indústria, que gerencia recursos humanos, planeja e executa instalações de energia elétrica e redes de comunicação, de acordo com as normas e padrões vigentes, observando a preservação do meio ambiente e a utilização racional da energia elétrica. Possui capacidade empreendedora para atuar na prestação de serviços e elaboração de laudos e perícias. Planeja, executa, orienta e controla a manutenção de instalações elétricas prediais e industriais, aparelhos, circuitos e equipamentos. Projeta e gerencia a execução de instalações elétricas prediais, industriais e de redes de comunicação.

Atividades que desempenha:
- Elaboração de projetos elétricos residenciais, comerciais e industriais;

- Execução, supervisão e controle da manutenção em sistemas elétricos de potência;

- Gerenciamento de vendas de materiais e equipamentos elétricos/eletrônicos;

- Execução, supervisão, inspeção e controle em serviços de manutenção eletro/eletrônica;

- Execução técnica de trabalhos profissionais, bem como de orientação e coordenação de e- quipes de trabalho em instalações, montagens, operações, reparos ou manutenção;

- Elaboração de relatórios de ocorrências e pesquisas;

- Assistência técnica e treinamento de pessoal;



CURSO TÉCNICO PÓS-ENSINO MÉDIO DE MECÂNICA INDUSTRIAL
Capacitação


O Técnico deverá apresentar, após conclusão da seqü ência curricular, as competências profissionais gerais da área, conforme a Resolução 1.010/05 do CONFEA, das quais destacamos:
- Coordenar equipes do trabalho, que atuam na instalação, montagem, operação, reparos e manutenção;

- Observar as normas técnicas de qualidade, saúde e segurança no desempenho de suas funções;

- Utilizar catálogos, manuais e tabelas em processos de instalação, manutenção e montagem de equipamentos, observando as normas técnicas;

- Prestar assistência técnica no estudo e desenvolvimento de projetos e pesquisas tecnológicas;

- Propor melhorias e a incorporação de novas tecnologias no sistema de produção;

- Conduzir a execução técnica dos trabalhos de sua especialidade técnica;

- Orientar e coordenar a execução dos serviços de equipamentos e instalações.



CURSO TÉCNICO PÓS-ENSINO MÉDIO DE TÊXTIL: MALHARIA E CONFECÇÃO
Capacitação


O Técnico Têxtil deverá apresentar, após conclusão da seqüência curricular mínima e do estágio aprovado, as competências profissionais gerais da área profissional da Indústria, prevista na Resolução CNE/CEB n°. 04/99, de 05 de maio de 1999:

- Coordenar e desenvolver equipes de trabalho que atuam na instalação, na produção e na manutenção, aplicando mÉtodos e técnicas de gestão administrativa e de pessoas;

- Aplicar normas técnicas de qualidade, saúde e segurança no trabalho e técnicas de controle de qualidade e ambiental no processo industrial;

- Aplicar normas técnicas e especificações de catálogos, manuais e tabelas em projeto, em processo de fabricação, na instalação de máquinas e de equipamentos e na manutenção industrial;

- Elaborar planilhas de custos de fabricação e de manutenção de máquinas e equipamentos, considerando a relação custo-benefício;

- Aplicar métodos, tempos e processos na produção, instalação e manutenção;

- Elaborar ficha técnica de produto, ferramentas e acessórios.

- Elaborar projetos, cálculos, dimensionamento, layout, correlacionando-os com as normas técnicas e com os princípios científicos e tecnológicos;

- Desenvolver projetos de manutenção, de instalações e de sistemas industriais, caracterizando e determinando aplicações de materiais, acessórios, dispositivos, instrumentos, equipamentos e máquinas;

- Projetar melhorias nos sistemas convencionais de produção, instalação e manutenção, propondo incorporação de novas tecnologias;
- Conhecer processos de produção têxtil;

- Administrar, planejar e controlar processo, máquinas e pessoal;

- Conhecer os sistemas de organizações industriais, seu ambiente externo e interno.



CURSO TÉCNICO DE PRODUÇÃO  DE MODA
Capacitação


O profissional formado estará capacitado a:
- Criar e produzir coleções de moda masculinas, femininas e infantis;
- Organizar desfiles, feiras e outros eventos;
- Criar motivos para estamparia ou variantes cromáticos;
- Elaborar cartela de cores e dossiês de tendências de moda;
- Orientar grandes magazines sobre aquisição de produtos de moda;
- Analisar aspectos estéticos, técnicos, econômicos e sócio-culturais no desenvolvimento de atividade profissional.
CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA
Capacitação
Ao término do curso, o Técnico em Mecânica Industrial, deverá estar apto para desenvolver atividades de planejamento, avaliação, controle, instalação, montagem, fabricação e manutenção, sendo capaz de:
- Coordenar equipes de trabalho, que atuam na instalação, montagem, operação, reparos ou manutenção;
- Coordenar equipes de trabalho, que atuam na instalação, montagem, operação, reparos ou manutenção;
- Elaborar projetos de sistemas eletromecânicos;
- Montar máquinas e equipamentos;
- Instalar máquinas e equipamentos;
- Planejar manutenção;
- Executar manutenção;
- Desenvolver processos de fabricação e montagem;
- Elaborar documentação técnica;
- Realizar compras técnicas;
- Realizar vendas técnicas;
- Cumprir normas de segurança e de preservação ambiental.



Cursos Graduação UFSC


Na UFSC temos os seguintes cursos com competências para a indústria:
- Ciências Farmacêuticas
- Análises Clínicas
- Ciências de Administração
- Ciências Contábeis
- Automação e Sistemas
- Engenharia Civil
- Engenharia de Produção e Sistemas
- Engenharia Elétrica
- Engenharia Mecânica
- Informática e Estatística
- Ciência e Tecnologia de Alimentos
- Química
- Física
- Matemática

E no site do SENAI
, temos mais opções de cursos técnicos, superior em tecnologia, aprendizagem industrial e qualificação profissional.


A carência de profissionais qualificados na Indústria


A indústria vem crescendo mais e mais a cada dia, nao só no Brasil, mas no mundo todo. Elas estão espalhadas pelos quatro cantos do globo e praticamente tudo que utilizamos no nosso dia-a-dia provém destas.

Indústrias promovem o crescimento da cidade, seja ela grande ou pequena. Na cidade onde ela se instala começa a surgir uma educação melhor para a capacitação da pessoa para exercer uma atividade na indústria, uma melhoria política, melhor condições de vida.
Por isso as indústrias movimentam um capital muito alto e têm muita importância na economia de cidades, estados e até países, e com isso elas têm uma responsabilidade enorme com o produto produzido. Então cada dia mais, optam por profissionais especializados na área de atuação da indústria, para melhor desempenho da mesma.

Entretanto no Brasil, faltam profissionais qualificados para ingressar na carreira industrial. Esta falta de profissionais ocorre, entre outros fatores, pela má educação dada ao jovens brasileiros. Pesquisas apontam que a educação do Brasil está entre as piores do mundo. Os jovens brasileiros de classes mais baixas muitas vezes nem chegam a completar o ensino fundamental e médio. O pior é que a culpa nem sempre é do jovem por não querer estudar, mas sim pela falta de professores e constantes greves destes que impossibilitam a educação do mesmo. Como conseqüência disto temos que os jovens não tem uma base para ingressar no mercado de trabalho, principalmente na área industrial.

Segundo estudos, hoje a principal carência das grandes companhias é encontrar pessoas qualificadas para os cargos de operação e os setores mais afetados são o automobilístico, de papel e celulose e de serviços.

O que falta no Brasil é investimento para capacitação de funcionários nesse setor. Porque essa falta de profissionais capacitados faz com que muitas indústrias tenham que capacitar seus próprios funcionários. 


E você, profissional formado, há nesse site vagas disponíveis para profissionais da indústria.

Uma dica de um bom filme sobre indústria e os benefícios que elas trazem para a cidade onde se instalam, é o filme Roger e eu. É um filme que fala sobre uma indústria de automóvel, a GM, que saiu da cidade de Flint nos EUA e ocasionou desemprego e pobreza a região. É um documentário onde Michael Moore tenta encontrar o presidente dessa indústria e convencê-lo a ir na cidade para ver o que aconteceu com ela depois da saída daquela indústria. 


Cursos que capacitam profissionais para indústrias são garantia de emprego, pois como falamos acima, há a carência desses profissionais, escolha já o seu curso e tenha sucesso!



Esse vídeo é uma notícia sobre a falta de profissionais capacitados na indústria atualmente

O que fazer quando chega a hora da escolha?

O que os jovens mais temem ao terminar o ensino médio é o vestibular. Mas por trás deste tem algo muito maior, que é a escolha de qual área seguir e em qual universidade freqüentar o curso desejado.

A escolha do curso é o principal dilema na maioria dos jovens, porque muitos prestam vestibular e nem sabem exatamente em qual área querem trabalhar. Por isso muitos estudantes escolhem seu curso de maneira errada. Muitos optam por cursos devido a carência desses profissionais no mercado de trabalho, indicando emprego certo. Outros seguem o modismo imposto pela sociedade, ou pelos próprios pais e parentes, em cima de certas profissões, como a do médico, engenheiro, dentista. E outros ainda seguem os mesmos passos que os pais. Mas o ideal seria cada um escolhesse um curso que realmente gostasse e conseguisse ser um profissional realizado.

Para ter a escolha certa, o estudante tem que conhecer todos os seus gostos, saber que a área que escolher ele vai trabalhar todo dia, que se tem a opção de voltar atrás, começar de novo, escolher outro curso, caso não esteja satisfeito com o escolhido, e para isso, existe toda uma preparação e conhecimento dos cursos oferecidos. Muitos psicologos indicam fazer um teste vocacional, que você pode fazer aqui , mas o resultado do teste não é definitivo, ele apenas aponta certas áreas que você poderia ter uma realização profissional. Afinal, a escolha do curso é sua, referente aos seus gostos e facilidades.

Depois de escolhido o curso, outro problema encontrado pelos jovens é a universidade onde cursar. Na escolha da mesma deve-se levar em conta a infra estrutura, os laboratórios, biblioteca, bolsas de pesquisa e estudo disponíveis, professores capacitados, e monitores disponíveis para atender o aluno. Aqui em Santa Catarina existem diversas universidades que podem ser encontradas listadas aqui. A maior universidade que temos em Santa Catarina é a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) com uma boa infra estrutura, reconhecida pelo MEC (Ministério de Educação e Cultura) com os mais diversos cursos que variam entre:

Tecnologias da informação e comunicação, Ciências Rurais, Agronomia, Ciência e tecnologia Agroalimentar, Zootecnia , Ciências Biológicas, Arquivologia, Biblioteconomia, Pedagogia, Educação do Campo, Enfermagem, Farmácia, Fonaudiologia, Medicina, Nutrição, Odontologia, Física, Matemática, Química, Direito, Artes Cênicas, Teatro, Design, Jornalismo, Educação Física, Filosofia, Antropologia, Ciências Sociais, Filosofia, Geografia, Geologia, Historia, Museologia, Oceanografia, Psicologia, Administração, Ciências Contábeis, Ciências econômicas, Relações Internacionais, Secretariado Executivo, Serviço Social, Arquitetura e Urbanismo, Ciências da Computação, Sistemas de informação, as Engenharias: Civil, de Energia, de Alimentos, de Aquicultura de Controle e Automação, de Mobilidade, de Materiais, de Produção, Eletrônica, Elétrica, Mecânica, Química, Sanitária e Ambiental e os cursos de Letras: Libras, Língua Espanhola, Língua Inglesa, Língua Alemã, Língua Francesa e Língua Italiana.


Dentre tantos cursos dados por uma única universidade não é mesmo fácil escolher só um. Aventure-se e descubra tudo sobre o curso que escolher antes de fazer qualquer escolha. Tenha sempre em mente que o seu futuro quem decide é você!



Para tirar suas dúvidas sobre a escolha do seu curso seria interessante dar uma olhada nisso.

Abaixo segue um video onde entrevistamos uma estudante de Física e uma Artista Plástica e Letrada em Português/ Inglês.



video

Quem nunca pensou em fazer um curso superior?



A maioria dos jovens que se formam no ensino médio e grande parte dos adultos que não tiveram oportunidade de se formar em um curso superior, almejam ter um diploma no seu curso desejado. Isso porque um diploma, na maioria das vezes, significa um ponto a mais no mercado de trabalho e um futuro garantido.


Os cursos oferecidos por universidades são centenas, em diferentes áreas de conhecimento. Suas formas de ensino variam entre bacharelado, licenciatura, tecnólogo e cursos à distância.*

A seleção para a entrada das mesmas está cada vez mais acessível. As faculdades públicas e algumas particulares adotam o vestibular como forma de ingresso, e muitos estudantes tem uma chance maior de ingresso nessas universidades, garantindo seus direitos pelas cotas, que existem para negros e para alunos de escolas públicas. E agora também se adotou o Enem, Exame Nacional do Ensino Médio, através do SiSU, Sistema de Seleção Unificada, como uma forma de se ter mais pontos na seleção para a entrada na faculdade e garantir sua vaga.

A estudante de Física, Arielle Francine Wojcikiewicz, da Universidade Federal de Santa Catarina, comenta dos cursos que se tem poucos candidatos disputando uma vaga, “O curso de física da UFSC é um curso que não tem muita procura, pois a maioria não quer ser professor porque sabem que o salário não é alto. Mesmo assim entram uma boa quantidade de pessoas, mas o número de formandos é menor ainda, pois muitos desistem já no inicio do curso por causa das matérias com muito cálculo.”

Mas onde há carência também há excesso. E Esse é um fator determinante para certos profissionais, pois muitos buscam um curso onde o salário do profissional depois de formado é maior, e isso faz com que a área exercida esteja com profissionais em excesso, causando muitos desempregos. Então se exige uma melhor competência do profissional daquela área para conseguir o emprego.

Segundo Douglas Amorim Ferreira, graduando em Engenharia Elétrica na Universidade Federal de Santa Catarina, os cursos superiores são de suma importância por introduzirem no mercado profissionais qualificados e com empreendedorismo. Ele optou por fazer o curso de engenharia elétrica tendo em vista o avanço tecnológico do país e consequentemente a crescente demanda energética. A escolha da instituição a cursar o ensino superior também deve ser levada em conta, diz o estudande. Deve-se conhecer a infra-estrutura que a universidade oferece ao estudante e as qualificações dos professores do curso. É claro que uma boa formação não depende apenas disso, em grande maioria depende do empenho do estudante.

Douglas e Arielle são exemplos de quem busca um bom emprego com um salário superior aos demais trabalhadores do mercado, pois um curso superior sempre foi a escolha certa pra quem deseja isso. Apesar de que se leva mais tempo para se conseguir o emprego com esses tributos, o profissional formado tem maiores conhecimentos sobre a área que vai atuar e recebe suas vantagens merecidas depois desses tantos anos de estudo.

*Informações sobre modalidades dos cursos:


Tecnólogo: Um curso tecnólogo tem sua duração, na maioria das vezes, menor, durando de dois a três anos. Por isso seu ensino é mais compacto e prático, e visa certos campos específicos do mercado de trabalho.

Bacharelado: O curso de Bacharelado é mais abrangente do que um tecnólogo e tem sua duração geralmente de cinco anos, formando profissionais exclusivos regulamentados, como médicos, engenheiros e dentistas.

Licenciatura: A licenciatura forma profissionais que exercem o magistério, na maioria das vezes em educação infantil e ensino fundamental, pois a Lei de Diretrizes e Bases da Educação não permite licenciados darem aula em universidades, só aqueles ligados com áreas tradicionais do conhecimento, como o curso de letras e de o de artes.

À distancia: Um curso a distância, é um curso que tem muitos benefícios e desvantagens. O estudante dessa modalidade utiliza a tecnologia para se comunicar com os professores, através da internet, do correio, telefone, fax, e outras tecnologias de comunicação. Esse estudante cria um incentivo ao estudo e tem seu horário bastante flexível e assim como o curso tecnólogo também visa certos campos específicos no mercado de trabalho e dura menos tempo.

Todos esses estudantes, podem continuar os estudos cursando a pós graduação, em mestrado, doutorado, especialização e/ou MBA, Mestre de Administração de Negócios.

Você pode encontrar maiores informações sobre cursos tecnólogos aqui e aqui, e sobre cursos superiores aqui.